Venkonnect

Fique por dentro de nossas notícias

A Queda do Monopólio do Roteamento

24 de Agosto, 2021
A Queda do Monopólio do Roteamento

Como o roteador de código aberto mudará a rede IP

A computação e o armazenamento sofreram mudanças tremendas na tecnologia e no preço. Surpreendentemente, a tecnologia de roteamento de rede não mudou fundamentalmente nos últimos 20 anos e permanece inerentemente complexa e cara. Isso mudará conforme a inovação de roteamento concentra-se no software e não depende mais de hardware proprietário. A competição do mercado está aumentando e podemos ver o fim do monopólio da Cisco, à medida que as opções de código aberto se tornam predominantes.

As arquiteturas de rede estão evoluindo de forma consistente, porque os princípios fundamentais sobre como você projeta redes mudam com o tempo. Ao contrário da física e da química, que têm leis naturais que não mudam, a tecnologia subjacente e os modelos de negócios para a rede mudam a cada 7 a 10 anos. Estamos passando por outra grande transição da indústria, à medida que a tecnologia de comutação e roteamento subjacente muda para concentrar-se no software. Os grandes provedores de nuvem, como Amazon, Facebook e Google, aderiram a isso cedo e têm redes IP 100 vezes mais rápidas a uma fração do custo das grandes empresas tradicionais ou provedores de serviços de rede.

O software leva o roteamento ao limite

Embora muito tenha sido escrito sobre como Redes Definidas por Software (SDNs) e WANs Definida por Software (SDWAN) transformarão a rede, a maioria da indústria subestima a magnitude de seu impacto. O roteamento no software faz parte da história do SDN e permitirá o seguinte:

1. Comoditização de Software de Roteamento - Modelos de negócios baseados em software que suportam freemium e open source, reduzindo custos em até 95%. A Cisco e os fornecedores de rede legada estão apenas começando a sentir esse impacto. As principais empresas de nuvem do mundo estão usando equipamentos de rede de fornecedores menos legados, e essa tendência está mudando para ISPs e empresas. Essa tendência vai se acelerar.

2. Roteamento em todos os lugares - em vez de uma arquitetura de rede baseada em camadas de borda, distribuição e núcleo, onde o roteamento e a segurança são caros e feitos na camada de distribuição, o roteamento pode ser empurrado para as bordas da rede e a camada de distribuição pode ser eliminada. Essa arquitetura de rede mais plana permite o seguinte:

A. Routing In Clients - O cliente final pode usar várias redes simultaneamente e com segurança. Por exemplo, em vez de seu telefone celular falando em uma rede Wifi ou LTE por vez, a capacidade de usar várias redes simultaneamente para melhorar o desempenho, fornecer roaming contínuo e otimizar custos. Acabar com os clientes VPN estáticos e passar para o gerenciamento de sessão dinâmica.

B. Roteamento em contêineres - os aplicativos têm a capacidade de obter automaticamente, em tempo real, os recursos de rede necessários para uma sessão de aplicativo. Com a ajuda de coisas como Named Data Networking (NDN), os aplicativos serão capazes de se integrar com controladores de rede e usar palavras para definir políticas de roteamento e segurança em vez de endereços IP compostos de números. Em tempo real, o melhor é disponibilizado para cada acesso, para cada necessidade, levando em conta a demanda, os canais disponíveis e seu estado.

C. Arquitetura de malha dinâmica - em vez de uma arquitetura de hub e spoke, os usuários e aplicativos podem se comunicar diretamente entre si. O problema com os SDNs de hoje é que eles dependem de sobreposições e túneis que formam uma arquitetura de hub e spoke. Em um mundo onde usuários e aplicativos são móveis, a rota de rede ideal está em constante mudança.

3. Segurança Zero Trust - Criando uma arquitetura de rede “Negar por padrão” onde os pacotes não são permitidos na rede a menos que haja uma política explícita para fazê-lo. O modelo de segurança atual de usar fronteiras e tradução de endereços de rede fragmenta as redes e não oferece o nível de segurança necessário no futuro. O roteamento e a segurança devem se fundir em vez de serem diametralmente opostos.

Enquanto a comutação Ethernet é usada na extremidade e no núcleo das redes porque é rápida, simples e barata; o desempenho, a segurança, o controle e a geração de relatórios de roteamento são melhores. Quando o software de roteamento redefine seus níveis de preço e é executado no dispositivo do usuário e nos aplicativos, as redes podem ser apenas outro serviço que pode ser chamado automaticamente por meio de interfaces programáveis ​​de aplicativos (APIs).

Os grandes provedores de nuvem estão atualmente construindo suas redes usando switches Ethernet comuns. Embora essa arquitetura funcione bem em seus respectivos domínios de data centers e interconexões de data centers, ela não fornece desempenho e segurança de ponta a ponta para outros provedores de nuvem e usuários finais, onde há restrições de largura de banda e riscos de segurança. É por isso que os provedores de nuvem emergentes estão começando a fornecer também rede para a empresa com seus serviços de nuvem, para que possam garantir a qualidade de experiência e segurança para os usuários finais.

Para concluir

Os arquitetos de rede devem começar a planejar hoje para levar inteligência de roteamento, que fornece garantias de desempenho de aplicativos e controles de segurança, até a borda de suas redes. O SD-WAN Open Source é a escolha do presente, para garantir um futuro com mais performance e segurança, no qual o software é protagonista, impedindo o vendor lock-in e oferecendo mais flexibilidade e liberdade para provedores e empresas.

Se você deseja saber mais sobre as soluções de SD-WAN mais avançadas do mundo, trazidas ao Brasil pela parceria entre a Flexiwan e a Venko Networks, clique aqui.

Fonte: Flexiwan e Assessoria Venko

Texto por: Sorell Slaymaker e Assessoria Venko

Imagem: Freepik